terça-feira, 21 de abril de 2009

Não me subestime...

Não me subestime, não me mire, não me determine.Não ache que sou aquela que você conhece. Não, não me subestime. Não ache que sou mais uma na avenida. Que sou frágil, fraca ou forte. Não tente avaliar a minha capacidade, porque nem eu mesma consigo mensurar o meu poder, o meu potencial. Não venha julgar uma ação isolada como a totalidade do que sou. Não me determine pelo o meu modo de vestir. Se uso tal marca ou deixo de usar. Se meu cabelo ora está liso ora encaracolado. Não, não venha me rotular ou duvidar das minhas habilidades. Não, mais uma vez repito: não venha me subestimar. Não pense em fixar meu jeito num quadro ou imprimir as minhas digitais psicológicas. Não, não ouse determinar o que sou e do que gosto. Do que quero e do que tenho pavor. Do que posso e do que consigo. Não, mais uma vez não venha reduzir a minha potencialidade e o meu saber. Não me menospreze. Não me coloque para baixo. Não, já avisei. Não venha desprezar o meu talento. Não me julgue pela aparência. Não, chega. Já disse. Não me subestime, porque todos nós somos possibilidades. 

**** Esse foi um desabafo que já gostaria de ter feito há muito tempo. Não é dedicado a ninguém específico, mas todos aqueles que se sentem observados diariamente e que encontram pedras (oopps, pessoas) no caminho que lhe avaliam e lhe menosprezam com um ar arrogante e indiferente. É. Esse post também tem como inspiração determinante o vídeo de Susan Boyle´s, que é um dos mais acessados no Youtube. Essa apresentação dela demonstra exatamente o que escrevi. Representa a inversão de valores da nossa sociedade, da valoração que damos à aparência e como subestimamos o outro pelo que veste, pelo que fala. Esse vídeo é de tocar a ferida. É um despertar. É um alerta ao comportamento humano. É o sabor amargo do que que trazemos em nossa historicidade. É. Não me subestime. Essa é a frase de ordem.

2 comentários:

Mey Salois disse...

Menos denso que o texto que voce escreveu que por si só fala muita coisa, fui no link do youtube e mesmo já sabendo que Suzan ía dar o 1 a 0 em todo mundo, me arrepiei toda com a voz e meus olhos marearam várias vezes com o que ela está cantando: I have a dream and that's why I believe.
O importante não é o que pensam de você, é o que você pensa, se pensa existe, logo, primeiro você, depois o resto!

Enry disse...

Muito bom! Forte...adorei! Parabéns!