quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"O importante é ser você, mesmo que seja estranho..."

"Estou de volta pro meu aconchego, trazendo na mala bastante saudade..." É assim que inicio meu post saudoso!!! Quanto tempo sem visitar o Bendizer... Como assim, né? kkkkk Os motivos já registrei aqui: tive que me dedicar às leituras e também à escrita. Mas ufa! Agora posso parar tudo ao meu redor para matar as saudades do meu blog. Uhu!
E, durante essa ausência, refleti sobre a necessidade de sermos aceitos socialmente. Vocês já pararam para pensar o que fazemos, diariamente, para vivermos em sociedade? Primeiro que nos editamos o tempo inteiro: para o outro e para nós mesmos. Deixamos de falar o que pensamos (para não magoar ou nos inserirmos num determinado contexto), de comer o que queremos (para emagrecermos e ficarmos no padrão de beleza da contemporaneidade), de frequentarmos lugares que não gostamos para agradar o outro (os eventos sociais), de demonstrar felicidade (quando estamos tristes... tem algo pior?) e de fazermos piadas imbecis para chamarmos a atenção dos amigos (às vezes somos tão palhaços que assumimos o papel do Bobo da Corte), entre outros...
É ou não é duro tentar ser o que não é para ser aceito?
O pior é que quando você não entra nesse "esquema" vem os rótulos: "nossa, como você é mal-humorado", "vocês estão falando de quem? da gordinha?", "você viu como fulano é grosso? fala o que pensa e pronto?", "acho que aquele seu colega está numa depressão pronfunda, só anda reclamando da vida, não sorrir..."
O que fazer, então?
Como encontrar o equilíbrio?
Eu, confesso, estou numa fase "cansei de me editar"... rsrsrs É muito chato!!! Mas também sei que existem algumas convenções sociais que não têm como escapar. E, além disso, precisamos preservar o respeito e o amor ao próximo. O argumento religioso faz parte de mim... kkkk E acho válido tudo isso, porque também como seria o mundo se não tivéssemos o interesse em nos adequarmos a ele? Acredito que seria ainda mais violento.
As respostas para estes questionamentos não tenho, de fato, só sei que nenhuma edição fará de você uma pessoa essencialmente melhor. A edição está atrelada ao superficial. Aquilo que um dia acabará. Ou você acha que conseguirá renegar seus sentimentos e desejos a vida inteira em troca de relações sociais?
Sei não, mas qualquer dia desses chuto o pau da barraca!!! ihihiihihih

Um comentário:

Luciana disse...

Oi, Gaby! É sempre bom visitar este cantinho de paz na loucura da Internet. Que Deus continue te abençoando e que você seja transmissora dessas bênçãos a outras pessoas. Um abração!