quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

"Eu só digo o que penso, só faço o que gosto, e aquilo que creio. Se alguém não quiser entender e falar, pois que fale". (Maysa)

Desde ontem estava querendo escrever sobre Maysa, mas a correria do dia-a-dia me fez prolongar até este momento. E, bem agora, vi também que minha amiga querida, Rafa Manzo, escreveu um lindo post sobre a cantora que tanto "chocou" o Brasil com suas atitudes e sonhos. Ao invés de Rafa, não quero me posicionar sobre de quem é aquela Maysa, porque sei que por trás dali existem discursos de todas as pessoas que estiveram presentes na sua história e que cada um editou um pedaço de Maysa a sua maneira. Mas, sei ainda, que é impossível assistir a essa minissérie que eu AMEI desde o primeiro capítulo sem tirar as minhas próprias conclusões e, além disso, confrontar e ressurgir a Maysa que existe em mim. 

Assisto Maysa, muitas vezes, com lágrimas nos olhos. Claro que em muita coisa não me pareço com ela - não fumo, não bebo, não sou cantora famosa, ainda não tive filho, não corto os pulsos e... só! rs Na outra parte Maysa, me pareço e muito. Luto inquietamente pela minha liberdade. Odeio ser rotulada e observada. Odeio seguir regras num mundo totalmente cheio de falsas regras com pessoas que as violam abertamente e "arrotam" bons modos. Sou depressiva em alguns momentos, sim, quando me vejo presa num espaço do outro. Odeio estereótipos. Odeio fazer tipo. Sou grossa sem problemas se me sinto coagida. Já chorei de amor algumas vezes e já tive aquele olhar de quem só precisa de atenção e carinho. Assim como ela, não saberia viver em função de um sobrenome e de uma tradição familiar. Cada um tem seu desejo e cada um sabe o que é bom para você. Ela só queria paz, AMOR e liberdade. 

Tenho uma teoria de que boa parte do sofrimento humano é hereditário, passa de pai para filho. E a infância da Maysa foi bem triste, num internato e repleta de solidão. Aos 17 anos, ela se apaixou e se casou com um homem mais velho e de uma família tradicional da sociedade brasileira. Revoltada, ela resolveu acabar com tudo isso em busca da sua liberdade e pagou caro por isso... A liberdade é o bem mais caro do ser humano. Sei disso. Assim como seus pais, ela repetiu o mesmo erro deles também enviando seu filho Jayme para um internato na Espanha, quando ele tinha 7 anos... E aí está Jayme Monjardim, o renomado diretor de novelas que, certamente, sofre até hoje com a indiferença da sua mãe, a morte de seu pai e a instransigência da sua avó quando era um garoto. 

Não quero julgar essa relação de Maysa, mas sim trazer para o blog uma reflexão minha em torno de sua biografia. Já ouvi suas canções algumas vezes, mas quando nasci ela já tinha morrido. Mas poder entender melhor quem foi Maysa e a sua participação na nossa cultura musical é um estímulo para buscar novas personalidades que costuraram a história do nosso País. Além disso, ela envolve outros personagens fundamentais do nosso cenário musical, como Ronaldo Bôscoli, um galã que "criou" a Bossa Nova e foi casado com Elis Regina, entre outras paixões... 

Maysa é uma minissérie que nem o sono me faz fechar os olhos. Maysa é uma minissérie que me transporta para dentro do coração. Maysa conseguiu mexer em algumas feridas não cicatrizadas de quem também, assim como Maysa, quer ser livre dos olhos de outrem e da língua ferina de quem carrega em si a tristeza de demonstrar ser o que realmente não é. 

P.s: Só para descontrair... Maysa precisava de uma assessora de imprensa, viu? kkkkk Eta mulher com imagem desgastada e com relação conturbada com os veículos de comunicação !!! hahahahahaa 


resposta

maysa

Composição: Maysa

Ninguém pode calar dentro em mim
Essa chama que não vai passar
É mais forte que eu
E não quero dela me afastar
Eu não posso explicar quando foi
E como ela veio
E só digo o que penso
Só faço o que gosto
E aquilo que creio
Se alguém não quiser entender
E falar, pois que fale

Eu não vou me importar com a maldade de quem nada sabe
E se alguém interessa saber
Sou bem feliz assim
Muito mais do que quem já falou ou vai falar de mim

2 comentários:

Chris disse...

Olá, como vai?!
Estava eu procurando o nome dessa musica da Maysa que vc colocou como "título" do seu novo post e acabei lendo td q vc escreveu. É engraçado como algumas pessoas, assim como vc e eu tb confesso, acaba assimilando alguns fatos que acontece conosco comparando nossa vida com a de um artista. Renato Russo mesmo foi um q até hj influencia muitos. Eu encontrei o nome da musica da Maysa, chama-se "Resposta" vi tb no seu post, nao teria um nome melhor para essa música, certamente é uma resposta para sermos nós mesmos sempre, o q infelizmente todos não fazem...Parabens pela postagem, muito me agradou!
Forte abraço,

Christiane Hellen

Anônimo disse...

Bacana seu texto.Alguém em chamou num bate papo pelo msn de lobo em pele de cordeiro,daí estava procurando a letra da música pra dar uma "resposta",e achei no seu blog.Muito bom,bjos.