domingo, 25 de maio de 2008

Nostalgia...

Sei que fiquei de escrever sobre resignação, mas não resisti em postar sobre a minha adolescência.Na verdade, mesmo, lembrei dela de forma instantânea quando assistia ao quadro "Imitadores", do Programa do Faustão, durante a apresentação de um sósia do Renato Russo. Foi o Rê Russo - me sinto íntima dele - que embalou os principais momentos desse meu período teen. Aprendi aos 10 anos a cantar "Pais e Filhos" e desde então não deixei de escutá-lo e interpretar suas canções. "Faroeste Caboclo" foi difícil aprender a letra, mas fácil decifrá-la. A história é bem interessante e daria um bom texto para o teatro. "Índios","Tempo Perdido" e "Eduardo e Mônica" até estudei no colégio. Mas outras canções mexeram com o meu íntimo. Preencheram muitos "vazios" desse coração juvenil...
Lembro que quando sentia qualquer tristeza, ouvia Renato que passava. Tudo parecia ser simples de resolver quando a música dele tocava. Lembro-me hoje quando recebi a notícia da sua morte. Tinha 12 anos, estudava no Colégio Apoio e cheguei a sair da sala para olhar para o céu. Rezei para que fosse bem recebido do outro lado. Rezei para que sua família tivesse força, coragem, fé e, é claro, resignação.
Lembro-me, ainda, quando estava com a mente inquieta e escutava "Teatro dos Vampiros", que já começava com o verso by Gaby Lacerda - "sempre precisei de um pouco de atenção, acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto". Típico de uma adolescente carente... (hahahaha) E que faz parte da minha vida até hoje, não vou mentir...
Chorei muito ouvindo Via Láctea... "Quando tudo está perdido, sempre existe uma luz"... E já escrevi em outros blogs sobre o verso "Triste coisa é querer bem a quem não sabe perdoar...". Derramei lágrimas fechando um ciclo com a canção. "Quem inventou o amor? Me explica por favor..." e quando era rebelde, entoava: "Quero colo, vou fugir de casa"... aahahhahaha
Se deixar, fico aqui o dia inteiro relembrando canções do Rê e o quanto esteve presente na minha vida. Por tudo isso, estou super ansiosa para o lançamento do filme "Somos tão Jovens", que contará a biografia dele.
E como ele diz na canção "Vento no Litoral": "Aonde está você agora além de aqui, dentro de mim???"

2 comentários:

Leonardo Araujo disse...

O, amiga! Post nostálgico mesmo, hein?! O cd que eu mais gosto é A Tempestade, sombrio e poético. ;)

Preciso escutar mais meus cds da Legião e do RR.

Beijos!

gabriela.de.paula disse...

Amiga, estou sempre ao seu lado e pelos endereços que você já conhece. Mas quando as estrelas começarem a a cair, me diz pra onde é que a gente vai fugir?

Beijo e saudade